Sopro

A vida é esse eterno rasgar-se e remendar-se, Rosa sabia das coisas, enquanto o mundo acaba nós seguimos em trapos, tantos retalhos pelo caminho, tantos buracos que não fecham. Deixando ir muito mais do que deixando chegar, eu tenho dificuldades, apegada que sou, vulnerável que sou. Um muro feito de retalhos protege pouco, tenho achado ultimamente. Mas também tenho sido rocha, firme, sólida, consistente, impassível, ainda que tudo me abale, que tudo me afete. Hoje é sábado, Helena, dia de dançar, seguimos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s